Cirurgia GeralEstômago

Doenças Benignas

Dentre as doenças mais comuns do estômago encontra-se a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), muito conhecida simplesmente por refluxo ou hérnia de hiato. Nesta situação, principalmente quando o estômago está muito cheio, o alimento e o conteúdo ácido voltam para o esôfago, causando sensação de queimação e também sintomas respiratórios, como tosse e engasgamento. Isto se deve à frouxidão de uma válvula que está na junção do esôfago com o estômago. Outro fator envolvido é a subida do estômago para dentro do tórax. O diagnóstico é feito por endoscopia digestiva alta.

Atualmente existem medicamentos muito eficientes e a maior parte dos pacientes obtém bons resultados. Todavia, uma minoria tem alívio apenas parcial ou muito discreto. Outros, mesmo com tratamento adequado também podem ter complicações, como úlceras, hemorragia e estreitamento devido à cicatrização das úlceras. Assim, embora não seja a primeira escolha, a cirurgia pode ter um papel muito importante na solução da DRGE, nestes casos em que a medicação não resolve. Atualmente, também pacientes jovens, tem optado pela cirurgia, mesmo que tenha obtido bons resultados com o tratamento medicamentoso. O motivo é a perspectiva de ficar utilizando a medicação por décadas, e mesmo dúvidas sobre eventuais efeitos adversos das drogas a longo prazo.

Doenças Malignas

A doença maligna mais comum do estômago é o adenocarcinoma, e como todos os tumores do aparelho digestivo, o diagnóstico precoce é fundamental para um bom resultado e possibilidade de cura. Muitas vezes os sintomas iniciais são discretos, podendo ser confundidos com gastrites, úlceras ou mesmo o refluxo gastro-esofágico. Portanto, em pacientes que iniciam com dor no abdome superior, com queimação, que tem dificuldade em fazer a digestão e que persistem por várias semanas, a consulta com o clínico ou gastroenterologista é muito importante para o esclarecimento. O diagnóstico é feito pela endoscopia com biópsia. O tratamento do câncer do estômago é feito de forma combinada, associando cirurgia, quimioterapia e às vezes radioterapia.

Outro tumor maligno do estômago é o GIST, iniciais em inglês de tumor estromal gastrointestinal. É menos frequente que o câncer, e tem origem em camadas mais profundas, geralmente não precisa cirurgias tão extensas quanto o câncer.

Agende sua consulta Carlos Otavio Corso - Doctoralia.com.br

Notícias