Cirurgia GeralVias Biliares

A vesícula biliar é um reservatório de bile, que faz a digestão das gorduras e está junto do fígado. A bile é produzida continuamente e é armazenada na vesícula. Durante as refeições a vesícula se contrai e libera a bile no início do intestino. Pode ser acometida por doenças benignas e malignas.

Doenças Benignas

Pedra na Vesícula (Colelitiase)

É a doença mais frequente da vesícula. A bile parada no interior da vesícula pode formar cristais que se juntam e formam cálculos. Podem ter tamanho e número muito variável, desde pedras isoladas de vários centímetros até micro cálculos (barro biliar). A pedra na vesícula é muito comum nas mulheres de meia idade, em pessoas com sobrepeso, mas pode se manifestar desde a adolescência até a velhice, e também no sexo masculino. Existe também uma tendência familiar, ocorrendo em várias pessoas de uma família.

Os cristais da bile também vão produzindo inflamação crônica da parede da vesícula. Por isso, depois de algum tempo, quando a vesícula se contrai para enviar a bile para o intestino, pode originar crises de dor na parte mais alta do abdome, abaixo das costelas ou nas costas do lado direito, sensação de estufamento, enjoo e vômitos, com duração de várias horas. Frequentemente a crise é desencadeada por refeições abundantes, com alimentos gordurosos ou frituras, e a dor lembra uma cólica de duração prolongada.

Além da dor da contração da vesícula, pode existir quadros agudos mais severos ocasionados pelos próprios cálculos. Cálculos com mais de 1-2 cm podem ficar presos na saída da vesícula, causando uma inflamação aguda com grande inchume das paredes da vesícula (colecistite aguda) e com possibilidade de infecção da bile dentro da vesícula. Micro cálculos podem sair da vesícula para o canal principal e próximo do intestino causarem obstrução do canal do pâncreas. Isto provoca uma pacreatite aguda, que é uma inflamação muito grave. Nestas duas situações a dor é muito intensa e constante, e há necessidade de tratamento hospitalar.

Pólipos

Os pólipos são pequenos nódulos que crescem nas paredes internas da vesícula. Geralmente não produzem sintomas e são únicos, mas às vezes podem ser múltiplos. Se tem menos de 1 cm de diâmetro devem ser acompanhados por ecografia a cada 4-6 meses, para verificar se existe aumento ou se permanecem estáveis, ou se surgiram novos. Quando tem mais de 1 cm existe indicação de retirada da vesícula biliar, pelo risco de que possa se desenvolver doença maligna.

Doenças Malignas

O câncer da vesícula biliar é uma doença rara, que quando diagnosticada precocemente pode ser curada simplesmente com a retirada da vesícula, como nas doenças benignas. Infelizmente, quando detectada em fases mais avançadas pode requerer cirurgias de grande porte, assim como o câncer que ocorre nos canais biliares. Geralmente está associado com cálculos na vesícula, e se origina inicialmente como um pólipo.

O câncer dos canais biliares é denominado de colangiocarcinoma e, com frequência, produz sintomas de obstrução das vias biliares com icterícia

Agende sua consulta Carlos Otavio Corso - Doctoralia.com.br

Notícias